Madrid em um fim-de-semana

9 05 2009
Ohm

Ohm

Na semana passada estive em Madrid. Toda a gente falava da cidade, portanto, o tuga pacóvio cá do sítio tinha de ir. Arranjei boa companhia, fui com vários amigos e amigas, e lá fomos nós por 46€ num vôo da Ibéria.

Realmente não sei porque não fui mais cedo. É que por aquele preço, é efectivamente mais rápida a viagem entre Lisboa-Madrid do que para mim chegar a Lisboa… Chega a roçar o estúpido.

Por falar em roçar… As discotecas e os bares… qualquer coisa de fenomenal. O bairro “chueca” é algo a não perder, e que podemos aproveitar muito bem se procurarmos pelos estabelecimentos que não cobram entrada. Um Bacardi limón custa 8 euros, mas vale bem a pena se por exemplo encontrarmos o que encontrei na discoteca Ohm…

A oferta para o público gay é efectivamente muita, e sem preconceitos nenhuns. Algo que Lisboa poderá apre(e)nder olhando para esta cidade. Bares, discos, lojas, saunas, cruising  bars, etc. E de neóns e bandeiras à porta, nada de portas fechadas atrás de campaínhas.

O sol aquece muito em Madrid...

O sol aquece muito em Madrid...

Há outros sítios que vale a pena visitar, como, claro está, a Gran Via, a Plaza Mayor, e o parque do Templo de Debód. Na verdade, a cultura de “sair à rua” só por “sair à rua” está enraízada em Madrid. É bem melhor passar uma tarde de sábado ao sol, deitado na relva do que ir pavonear-se para um centro comercial.

Tiram-se boas fotografias em frente ao Palácio Real.

Tiram-se boas fotografias em frente ao Palácio Real.

Aconselho a todos darem por lá um voltinha. Talvez nos abra mais o espírito, sem falar de outras coisas. Mas deixem lá. São apenas coisas de gay.

O parque do Retiro é um ponto obrigatório

O parque do Retiro é um ponto obrigatório








%d bloggers like this: